Aos 11 anos, Kaciane leu mais de 500 livros e criou uma biblioteca

foto
Aos 11 anos, Kaciane leu mais de 500 livros

Kaciane Marques descobriu o interesse pelos livros “bem novinha”, como ela mesma conta. Original da cidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, a jovem de 11 anos foi apresentada ao mundo de histórias, aventuras e personagens fantásticos por meio do contato com os irmãos e familiares.

“Eu queria aprender a ler e escrever desde muito cedo. Foi aí que eu comecei a brincar de escolinha com os meus irmãos, e eles me ensinaram bastante. Quando entrei para a escola, praticamente já sabia ler e escrever. Depois de já ter aprendido um pouco, minha irmã me ajudava em casa”, relembra. Mais tarde, uma professora do segundo ano estimulou ainda mais esse contato com os livros.

O primeiro título que ela leu? As aventuras de Pedro, o Coelho, da escritora Beatrix Potter. “Eu achei mágico. Como foi meu primeiro livro, me imaginei dentro dele. Ainda hoje me sinto dentro do livro quando leio, e isso me encanta, sinto prazer de ler cada vez mais”.

Amor pelos livros - Segundo ela, “não existe um segredo” para gostar de ler. “Para desenvolver esse prazer pela leitura devemos começar a ler livros do nosso interesse, do gênero com o qual nos identificamos e claro, como é o começo, com poucas páginas. Você só precisa se dedicar, ou seja, largar o celular”, explica Kaciane, que até o momento desta entrevista havia lido exatos 565 livros.

“Sem os livros, nada disso teria acontecido. Minha biblioteca não estaria funcionando e não teria acesso às oportunidades que eu tive.”

Nas indicações de Kaciane, uma variedade de livros infanto-juvenis. “Gosto bastante dos livros escritos pela Paula Pimenta?—?veja nossa entrevista com a escritora?—?, que é bem aconselhável para as pessoas da minha idade. Também gosto bastante dos quadrinhos do Mauricio de Sousa e dos livros da Thalita Rebouças”, recomenda.

Realização - Apaixonada pela leitura, em 2015, Marques realizou um sonho: inaugurou uma pequena biblioteca nos fundos da casa onde mora com a família. O espaço?—?que fica na rua Projetada 31, número 306, no bairro Lealdade e Amizade, em São José do Rio Preto, e funciona das 14h às 17h?—?foi construído com o apoio de algumas empresas e doadores.

São mais de 4 mil títulos e um fluxo semanal de 300 visitantes, muitos deles vindos de outros bairros. “Para uma pessoa retirar os livros aqui é necessário fazer um cadastro com o endereço e telefone. Depois disso, ela pode pegar até cinco livros e tem o prazo de 15 dias para devolver. Se não terminar de ler, pode renovar”, explica.

Isso muda o mundo - Recentemente, Kaciane conquistou uma bolsa de estudos em uma escola particular do município onde vive, efeito do confesso interesse pelos livros e dedicação aos estudos. Outro sonho realizado pela jovem foi o lançamento do primeiro livro: Tanto faz ou qualquer coisa, trabalho publicado pela HN Editora.

“Sem os livros, nada disso teria acontecido. Minha biblioteca não estaria funcionando e não teria acesso às oportunidades que eu tive. Meu livro dificilmente seria publicado. Mesmo essa entrevista não seria possível. Os livros mudaram tudo”, conclui.

*Fonte: O Globo.