Por que ler ficção pode beneficiar sua carreira?

foto
Por que ler ficção?

A atividade não é apenas uma distração: ajuda a solucionar problemas complexos

Não é segredo e nem novidade que pessoas bem-sucedidas são ávidas leitoras. Ler ajuda a se manter conectado com as novas tendências e a aprender técnicas que podem ser usadas em sua carreira. Todo ano, Bill Gates e Warren Buffett publicam as listas dos melhores livros que leram nos últimos 12 meses – e as listas sempre estão cheias de títulos de não-ficção.

Mas e a ficção, ela é puramente entretenimento? Michel Morvan, fundador e CEO da empresa de tecnologia CoSMo, lê alguns capítulos de um romance policial toda noite e diz que não é apenas por diversão. À Fast company, ele disse que “para tocar um negócio, você precisa estar profundamente envolvido em todos os detalhes, desde a estratégia, produto e contratações. Mergulhar em uma história, identificando os personagens e tentando resolver os mistérios, tem dois efeitos em mim. Em primeiro lugar, é uma forma eficiente de me desconectar dos problemas que enfrento no trabalho. Além disso, imediatamente libera minha criatividade, minha mente não tem limites enquanto estou lendo, e não deveria ter enquanto estou conduzindo meus negócios.”

De fato, pesquisas mostram que ler ficção pode ajudar a aumentar habilidades que são tão importantes para o trabalho quanto conhecimentos técnicos que você adquire lendo não-ficção. Veja cinco maneiras como ler romances mexe com seu cérebro.

1. Melhor raciocínio - Ler ficção pode desencadear insights que podem ajudar o trabalho além da lógica, diz Michael Benveniste, professor de inglês na University of Puget Sound. Em situações que podem estar impregnadas com emoções ou experiências passadas, ler pode ajudar a cultivar outro tipo de raciocínio. “A ficção oferece um espaço para especular sobre o papel de valores difusos como crenças, normas e experiências em contextos sociais”, diz ele.

2. Maior entendimento de problemas complexos - Pessoas que leem ficção ampliam seu entendimento sobre os outros, de acordo com um estudo da Universidade de Toronto. “Esse efeito se deve em parte ao processo de engajamento nas histórias, que incluem fazer inferências e se envolver emocionalmente, e parte aos elementos da ficção, que incluem personagens complexos e circunstâncias que talvez não encontremos no dia a dia”, escreveu Keith Oatley, professor de psicologia cognitiva da Universidade de Toronto.

Oatley compara a ficção a simulações de computador para seu cérebro. “Assim como simulações podem nos ajudar a lidar com problemas complexos como pilotar um avião ou prever o tempo, os romances e histórias podem nos ajudar a entender as complexidades da vida em sociedade”, disse ele ao The New York Times.

3. Empatia - Imaginar a situação pela que passa um personagem pode fazer de você alguém mais empático em relação às pessoas na vida real. Isso acontece porque, quando você lê uma história, se conecta com experiências pessoais, de acordo com uma pesquisa realizada por Raymond Mar, psicólogo da Universidade de York.

Em um discurso durante a convenção anual da Associação Americana de Psicólogos, Mar disse que nós temos pensamentos e emoções que são consistentes com uma narrativa. Ao refletir sobre interações sociais passadas ou imaginar interações futuras, podemos ter algum insight sobre algo que aconteceu no passado que se relacione com um personagem em uma história.

 “As experiências que tivemos em nossas vidas moldam nosso entendimento sobre o mundo, e imaginar experiências por meio de histórias fictícias provavelmente nos muda também”, afirmou. “Ainda que a ficção seja fabricada, ela pode comunicar verdades sobre a psicologia humana e sobre as relações humanas.”

4. Alívio do estresse - Ler um romance é um método mais eficaz de aliviar o estresse do que ouvir música, caminhar ou tomar uma xícara de chá, de acordo com um estudo da Universidade de Sussex. Ler reduz o estresse em 68%, de acordo com o neuropsicólogo cognitivo David Lewis. Apenas seis minutos de leitura diminuía o ritmo cardíaco e reduzia a tensão muscular das pessoas que participaram do estudo.

“Perder a noção do tempo ao ler um livro é a melhor forma de relaxar”, disse Lewis em uma entrevista ao Telegraph. “Não importa qual tipo de livro você lê, ao se envolver na narrativa, você pode escapar das preocupações e do estresse do dia a dia e passar um tempo explorando a imaginação do autor. É mais do que uma simples distração.”

5. Modelos fortes - Livros de ficção costumam ter personagens cujos traços são descritos em detalhes. Juliette Wells, professora da Goucher College, dá aula sobre ficção do século XIX e diz que ela consegue se aproveitar da força dos personagens de romances de Jane Austen.

“Muitas dessas dinâmicas mapeiam de forma útil o mundo do trabalho”, diz ela. “Às vezes me vejo silenciosamente citando Elizabeth Bennet, de Orgulho e Preconceito, quando ela diz: minha coragem aumenta sempre que tentam me intimidar.”

*Fonte: revista Época Negócios; foto: Reprodução/Facebook.