Mais do que livros…

O livro é uma obra (que pode ser manuscrita, impressa ou desenhada) disposta em folhas de papel encadernadas e protegidas por uma capa. Em geral, para ser considerado um livro deve ter pelo menos 50 páginas e pode estar distribuído em vários tons ou volumes. Chama-se livro uma obra que trata sobre qualquer tema, inclusive sem palavras e só com imagens.

Muitas vezes um livro está composto por uma capa que protege as folhas, uma coluna que reúne a encadernação, folha de rosto, frente e verso, corpo da obra constituído por folhas, prefácio ou introdução, índice, capítulos e outros elementos complementários.

Um livro pode ser científico, literário ou linguístico, de viagem, biográfico, de texto ou estudo, de referência ou consulta como um dicionário, e muitas outras variantes.

Podemos falar de livros praticamente desde os tempos antigos através de diversas técnicas de produção como as pinturas rupestres do Paleolítico que “imprimiam” suas memórias na pedra. Embora em culturas antigas como o Império Egípcio (com seus papiros) e as civilizações babilônicas (com seus textos lavrados em pedra) conseguissem certa difusão dos livros primitivos, durante a Idade Antiga e a Média europeia eram raros, custosos e produzidos a mão em pergaminhos. Assim mesmo, dado ao escasso nível de alfabetização na sociedade europeia da época, apenas poucas pessoas podiam escrever com precisão necessária para a conservação destes manuscritos. Em geral, só alguns nobres e os membros do clero conseguiram a preservação dos livros nessa etapa histórica.

A partir da criação da imprensa por parte de Gutenberg por volta do ano de 1450, com o barateamento associado aos custos, iniciou-se uma “explosão bibliográfica” que gerou a proliferação dos livros impressos. O surgimento e popularização das bibliotecas.

A palavra livro provém do latim líber, um termo relacionado com a cortiça da árvore. Um livro é um conjunto de folhas de papel ou de qualquer outro material semelhante que, uma vez encadernadas, formam um volume.

Convém destacar, de qualquer forma, que existem os livros digitais (os e-books que, em vez de folhas, têm arquivos para ler num computador ou qualquer dispositivo eletrônico específico) e os livros áudio (o registo de alguém a ler, de modo a que o livro seja acessível para as pessoas invisuais, por exemplo).

Em geral, conhece-se como livro qualquer obra literária, científica ou de outro tipo, que tenha a extensão necessária para formar um volume: “O Prêmio Nobel colombiano acabou de apresentar o seu último livro”, “O meu sonho é publicar um livro de poesia”, “Na minha mesinha de cabeceira, há sempre lugar para um livro”.

O conceito de livro tem alguns significados mais específicos ou diretamente diferentes daqueles anteriormente mencionados. Chama-se, por exemplo, livro de bolso àquele cujas dimensões são reduzidas e cujo preço é econômico.

Por fim, diz-se que alguém “é um livro aberto” (em sentido figurado) tratando-se de uma pessoa franca, transparente e com uma grande sabedoria.

Vamos dar uma breve conferida no que pode ajudar você a ler mais livros:

  1. Criar gatilhos de leitura. Associe o seu novo hábito de leitura a diferentes gatilhos durante o seu dia. Para mim, tem sido 1) ler depois que eu faço alongamento e medito, logo no início da manhã; 2) ler enquanto eu como café-da-manhã, almoço e jantar; e 3) ler quando eu vou para a cama, antes de dormir. São cinco gatilhos ao dia, e com apenas quatro páginas por sessão, chego a no mínimo 20 páginas por dia. Nesse ritmo, eu levaria 45 dias para ler uma obra-prima como Don Quixote. Outras ideias de gatilho: enquanto está no ônibus ou metrô, no banheiro, pausar no trabalho, cada vez que você checa o seu e-mail etc.
  2. Curtir a leitura. Não olhe para a leitura de livros como uma tarefa chata que você tem que apressar para chegar a coisas mais urgentes. Em vez disso, observe suas sessões de leitura como um agrado, uma pausa na correria do seu dia. Deixe-se imergir no mundo do livro, e deixe que as novas experiências transformem você, ofereçam novas perspectivas ou a possibilidade de ver as coisas com um novo olhar.
  3. Sempre levar o livro com você. Para onde quer que você vá, leve o livro junto. Recentemente eu li bastante enquanto acompanha meu pai, que está internado em um hospital. Mas eu também encontro tempo para ler quando estou no metrô, em uma sala de espera, em uma fila… essas são oportunidades de ouro para a leitura. Eu agora estou lendo livros em papel, porque para mim essa é uma forma melhor de ler livros mais longos. Porém o Kindle ou outro leitor de e-books também são excelentes (inclusive por terem um dicionário integrado).
  4. Focar-se somente na leitura. Eu não deveria nem precisar dizer isso, mas vou dizer de qualquer maneira: feche ou silencie os seus dispositivos enquanto lê o seu livro. As notificações de celular, redes sociais, tablets, etc. vão distrai-lo. Se for necessário, coloque seu telefone ou notebook em um lugar diferente, dentro do armário, debaixo de uma pilha de bagunça que você quer arrumar…

Aproveite seus livros, meu amigo. Eu seguirei com os meus que incluem para 2015: Ulysses, Infinite Jest, A Divina Comédia, e Em Busca do Tempo Perdido.

*Traduzido de Zen Habits com autorização do autor.

Compartilhe:
Whatsapp